Transporte Coletivo: Empresas entram em colapso e 106 ônibus deixarão de circular

Pelo menos 120 mil usuários do transporte coletivo de Belo Horizonte serão afetados, suspensão dos veículos começa já nesta quinta-feira (13/01)

Por Samara Tibúrcio

Duas empresas de ônibus que prestam serviço para o transporte coletivo de Belo Horizonte anunciaram nesta quinta-feira (13/01) que irão suspender as atividades por falta de recursos financeiros para a compra de combustível e que o estoque de óleo diesel está acabando.

Além da dificuldade de recurso para a compra do óleo diesel que vem sofrendo aumentos constantes, a entidade declarou que “todo o sistema está com extrema dificuldade de manter os salários de seus funcionários em dia tamanho é o desequilíbrio econômico-financeiro dos contratos e os efeitos deletérios da pandemia no transporte público urbano em todo o país, com a redução gigantesca do número de passageiros”.

Pelo menos 120 mil usuários serão afetados com a suspensão na capital. 88 coletivos da Viação Transoeste deixam de rodar e, no domingo, mais 18 do Consórcio Dom Pedro II. De acordo com o SetraBH, toda a região do Barreiro, uma das mais populosas da capital, será afetada.

A Viação Transoeste parou as atividades a partir das 4 horas da manhã, a empresa que possui 88 veículos no sistema da BHTRANS, opera 28 linhas, sendo 5 compartilhadas e uma da rede de domingo, as regiões de atuação são Central, área hospitalar, Centro-Sul, BH Shopping e Anel Rodoviário.

As linhas que terão suspensa a circulação são:

Uma empresa do Consórcio Dom Pedro II informou que tem estoque para rodar somente até domingo (16/01) com isso as 18 linhas pertencente à empresa também deixaram de circular. Até o momento não foi divulgado pelo Setra quais são essas linhas.

Em nota, o SetraBH lamentou a crise e declarou, “O SetraBH lamenta a crise e destaca que os maiores prejudicados serão os usuários que deixarão de ser atendidos pelas duas empresas. A entidade e os Consórcios Dez e Dom Pedro II estão em contato com o poder concedente (PBH) para viabilizar uma solução emergencial para a crise”.

O prefeito Alexandre Kalil vai se reunir com representantes do Setra, no COP BH para juntos buscarem uma solução de maneira que a população que necessita do transporte público na capital não seja afetada.

Transporte Coletivo: Empresas entram em colapso e 106 ônibus deixarão de circular
Rolar para o topo